Página 1 de 1

Cerveja Artesanal Marafada

Enviado: quarta ago 12, 2015 13:19
por Xenidar
De férias no Algarve descobri a Cerveja Marafada oriunda de Algoz.

Comprei duas garrafinhas para apreciar no sossego do lar.

A primeira não me caiu lá muito bem, pois estava muito gaseificada (problemas na conservação ?) , mas a segunda, foi uma deliciosa IPA.

Saborosa, forte e amarga qb foi, provavelmente, a melhor IPA portuguesa que provei até agora, superando inclusive a Toira de Aguim.

Venham mais!

Re: Cerveja Artesanal Marafada

Enviado: quarta ago 12, 2015 22:09
por goaman
Boas!

Quais foram as outras IPAs Portuguesas que já provaste?

Re: Cerveja Artesanal Marafada

Enviado: sexta ago 14, 2015 1:08
por Xenidar
goaman Escreveu:Boas!

Quais foram as outras IPAs Portuguesas que já provaste?


Viva,

Realmente não foram muitas. Que me lembre além das já citadas experimentei:

- A Urraca da oitava colina
- A IPA da Vila Guinata
- A Mean Sardine.
- A Sovina IPA
- A Cinco Chagas de Anadia
- A Letra IPA

A boa notícia é que ainda há muitas para provar!
A má notícia é que encontrar uma cerveja artesanal portuguesa à venda, fora do seu local de fabrico, continua a ser uma aventura.

Os restaurantes, particularmente, ainda não descobriram o filão das cervejas especiais e artesanais. São capazes de ter listas de vinho com dezenas de marcas...e depois só tem Sagres e/ou Super Bock. E alguns desses ainda se chamam "cervejarias"!

Será que não teriam clientes para uma pequena lista de cervejas artesanais/especiais ? Nem todos são apreciadores de vinho...

Re: Cerveja Artesanal Marafada

Enviado: sexta ago 14, 2015 10:06
por bmxutos
Sim, certamente que já há um mercado para alguns restaurantes terem uma lista de cervejas importadas e artesanais portuguesas. O problema é que a mentalidade é tacanha, e enquanto o negócio clássico der dinheiro não vale a pena fazer grandes mudanças.

Por outro lado, a Sagres e SB têm um grande poder negocial. Para além de venderem cervejas, têm também águas, cafés, sumos, vinhos... E oferecem toldos, esplanadas, copos, chávenas, açúcar... Jogam então com isso para ter uma espécie de monopólio em cada um dos espaços.

Mais, a cerveja tem, em geral, um prazo de validade diferente do vinho. Uma garrafa de vinho pode estar parada uns três anos na prateleira de um restaurante, sem ser vendida, que isso não causa grande preocupação ao proprietário. Por outro lado, uma cerveja não tem habitualmente tanto tempo de vida.

São inúmeras as questões mas uma coisa é certa: há mais marcas de cerveja artesanal, há mais lojas e restaurantes a vendê-las, há mais festivais cervejeiros e há mais consumidores interessados. Estamos a crescer, eventualmente ainda não ao ritmo que todos gostaríamos.

Abraço,

Re: Cerveja Artesanal Marafada

Enviado: sexta ago 14, 2015 17:53
por Xenidar
Oi Bruno,

É perfeitamente natural algum receio dos restaurantes e o aspeto que salientas é importante. Uma cerveja não pode ficar anos guardada e portanto é natural que exista alguma cautela.

Para além disso a cultura cervejeira em Portugal é ainda incipiente até porque somos tradicionalmente um país de vinhos. A maioria das pessoas até desconhece a existência de outros tipos de cerveja que não as das marcas tradicionais.

De qualquer forma com algum bom senso e um pequeno lote de cervejas especiais e artesanais ( que poderia ser ampliado ou não consoante os clientes interessados) tenho a certeza que a maioria dos restaurantes não teria prejuizo.

Poderia até em alguns casos atrair alguns apreciadores de cerveja. Dou o meu exemplo: Regularmente desloco-me a um pequeno restaurante nos arredores de Coimbra só para poder ter o prazer de comer um bacalhau ( especialidade da casa) acompanhado com uma Franziskaner. A comida ali é boa...mas não faria quase 20 kms para lá ir se não fosse pelo prazer de acompanhar a refeição com uma das minhas cervejas favoritas.

Um abraço

Re: Cerveja Artesanal Marafada

Enviado: sexta ago 14, 2015 18:49
por tom_po
bmxutos Escreveu:Estamos a crescer, eventualmente ainda não ao ritmo que todos gostaríamos.


Isso é verdade! Se me lembro, em 2003, quando eu fiz a minha primeira cerveja artesanal aqui em casa em Braga, não existia mesmo nada, pelo menos aqui no norte do país.