O que ando a beber...

Comente quais as suas cervejas preferidas, aquelas que menos gosta, as suas qualidades, defeitos e características.
beertruck
BeerMaster
Mensagens: 529
Registado: quarta jul 12, 2006 10:19

Mensagempor beertruck » quarta set 13, 2006 17:55

bmxutos Escreveu:Se sempre encontrar os tais links, nós (pelo menos eu :wink: ) agradecemos.


Este não explica a história dos graus Plato mas explica a do alcoól.

http://www.ratebeer.com/Story.asp?StoryID=547


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Super Bock Cool

Mensagempor bmxutos » domingo set 24, 2006 22:55

Bom, apesar do mau tempo que esteve neste primeiro Domingo do Outono, resolvi dar uma volta com uns amigos e namorada e, às meias tantas, parámos num café para beber/comer qq coisa.

A minha atenção foi então chamada para uma das montras do café, onde surgia uma publicidade bem engraçada da Super Bock, com as diversas cervejas do seu portfolio, correpondendo cada uma a um dia da semana. Ao género 2ª tomamos a Green, 3ª a Stout e por aí fora.

Ao lado encontravam-se várias SB Cool que, confesso, apesar do meu grande amor pelas cervejas e por conhecer novos produtos, ainda não tinha experimentado. A curiosidade por novos produtos da SB tem esmorecido à medida que estes vão saindo... Mas, lembrando-me do que tinha acontecido com a defunta Cool Beer, tb da SB, que desapareceu um Verão sem deixar rasto e não me dando oportunidade de ficar com uma garrafa para a minha colecção, resolvi experimentar a nova Cool hoje. Vamos lá a ela!

Tal como com a Sagres Selecção ou, inicialmente, a Bohemia 1835, este tb é um produto especial, de edição limitada e, neste caso, vocacionado para o Verão. Portanto, coleccionadores, não se esqueçam de guardar uma garrafita, carica ou rótulo! Tem tb a característica de ter uma carica de abertura fácil, algo típico em muitas cervejas brasileiras mas completamente inovador por estas bandas.

Relativamente ao produto em si, o rótulo parece-me pouco conseguido. Tem o aspecto geral da família SB mas aquele amarelo no fundo vermelho não fica grande coisa. Percebo que queiram lembrar o sol e o Verão, mas tz existissem outras formas de o fazer.....

Quanto à cerveja em si, é mais uma desilusão da SB, para juntar à Abadia, Green e Tango. Impressionante. Parece que querem perder a liderança do mercado. Bom, não é pior que a Sagres Chopp, que me parece a concorrente mais directa, mas que não é uma boa cerveja e isso parece-me inquestionável!

Bom, não vou perder muito tempo com a análise desta cerveja até porque não há muito a dizer. Líquido muito claro, cor palha. Espuma branca e pouco viva, tendo em conta o género. Aroma algo estranho, com pouca presença de lúpulo e um adocicado proveniente de frutas, maioritariamente maçã. Quase que parecia uma Decider!!!
O sabor não tem nada. Aguado e sem qualquer caraterística que mereça ser destacada. Então quando a cerveja perde a vida, torna-se uma experiência penosa. Valha a verdade que é bastante referscante, mas só!

Apontei mais umas coisas mas, sinceramente, não tenho grande vontade de me alongar mto mais com esta cerveja. Resta ouvir a vossa opinião e deixar que o Verão passe por completo.

Já agora, se lançam uma pale lager especificamente para o Verão, porque não apostarem numa porter ou numa imperial stout para o Inverno?

Aparência: 4/10
Aroma: 3/10
Sabor: 2/10
Palato: 3/10
Total: 3/10

Imagem


Avatar do Utilizador
chimay
Aprendiz de Cervejeiro
Mensagens: 125
Registado: terça ago 29, 2006 14:10

Mensagempor chimay » segunda set 25, 2006 17:04

Pois... a Cool é uma grande porcaria. Quem está com muito calor e quer matar a sede bebe água. Quem quer uma cerveja a sério não bebe uma Chopp ou uma Cool; vai, no mínimo, para uma super bock ou sagres.
Aliás, espero que no próximo verão ja não haja nem uma nem outra. Modernices, tudo bem. Porcarias: não obrigadinho!


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Vapeur Vanille

Mensagempor bmxutos » sexta set 29, 2006 1:02

OK! Se fosse um jogo de batalha naval esta tinha sido três tiros na água! Confesso que me deixei ir atrás do rótulo mas o que posso dizer! Sou susceptível a rótulos engraçados e garrafas bonitas! esra é a 2ª prova que faço a esta cerveja e não diferiu muito da primeira.

Eis pois a Vapeur Vanille (também pode aparecer com a designação Vapeur Légère)! De origem belga, mais propriamente da vila de Pipaix, esta cerveja é elaborada pela Brasserie a Vapeur, da qual apenas conheço esta e a Saison de Pipaix, que é uma sazonal razoável. Ao escolhê-la fui mais levado pelo rótulo do que pelo conteúdo que pudesse existir na garrafa. A imagem de uma porca dançarina é, de facto, apelativa :D

5% ABV. Servi num copo de lager. A cerveja é cor de laranja, opaca, e apresenta uma espuma muito efervescente apesar de pequena e pouco duradoura. Algum aroma a frutos e fermento mas nenhuma presença de baunilha. Sente-se também alguma presença de citrinos, nomeadamente limão, a fazer lembrar algumas lambic. O sabor é dominado por especiarias, com forte teor amargo, chegando ao ponto de se tornar azedo (seria sinal de alguma infecção?). Mais uma vez nenhuma presença de baunilha. O final é bastante seco.

Conclusão: a garrafa vai ficar bem na minha colecção...

Aparência: 4/10
Aroma: 3/10
Sabor: 5/10
Palato: 4/10

Total: 4/10

Imagem


mitos
BeerMaster
Mensagens: 340
Registado: quarta ago 23, 2006 10:59
Contacto:

Mensagempor mitos » sexta set 29, 2006 12:25

mas de facto tem q se concordar q é um dos rotulos mais giros q se viu

pena a cerveja nao ser a condizer


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » domingo out 08, 2006 23:54

A companhia para hoje proveio de uma Marston's Strong Pale Ale, que adquiri à cerca de um mês, após o beertruck ter dado a dica que se encontravam à venda no ECI algumas cervejas daquela firma.

Tenho de admitir que não sou um grande fã das Marston's, antes pelo contrário. Apesar de ser uma marca centenária, após a sua compra, em 1999, pela Wolverhampton & Dudley, os produtos decaíram um pouco de qualidade. Ora, se esta já não era de muito alto nível....

A garrafa é bem bonita e o rótulo, apesar de sóbrio, acompanha bem o conjunto. Tinha 0,5 litros de Pale Ale pela frente! :shock:

Com teor alcoólico de 6,2%, esta English Strong Ale apresenta uma cor bonita, tipo laranja escura quase a fugir para o acobreado. Servi num copo de Orval (o meu copo preferido!) apesar de um pint também ser uma opção. A espuma apresentou-se forte, branca, mas algo volátil. De aspecto claro e pouco carbonatada, esta cerveja enferma de alguns males, a começar pelo aroma, pouco intenso e com pequnas notas de malte, caramelo e um pouco e lúpulo. De corpo muito leve e sabor incaracterístico, algo frutado, salva-se o final seco e amargo, que nos faz pensar em qual o sentido de produzir uma cerveja destas de meio litro. Para uma pessoa é demais e, sinceramnete, não seria isto que serviria aos meus amigos pelo que para duas ou mais pessoas acaba por ser um desperdício!

Conclusão: como se diz em inglês, "bland and thin", sem grande história para contar. Fica na retina a bonita garrafa e a cor. A falta de complexidade deixa que o álcool "apareça" mas sem que, com isso, a bebida ganhe algo de muito positivo. Um pouco mais de malte talvez lhe trouxesse mais doçura e o carácter necessário a uma Strong Ale.

Aparência: 6/10
Aroma: 5/10
Sabor: 5/10
Palato:5/10

Total: 5,25/10

Imagem


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » terça out 17, 2006 23:15

Boa noite!

Vou-me ausentar do país e, como consequência, do fórum e do site por pouco mais de duas semanas. Espero que, entretanto, o pessoal que por aqui vai passando continue a conversar e a trocar as experiências cervejeiras que vão tendo. Nos últimos tempos isto não tem andado muito mexido, mas espero que, apesar de eu não estar presente, não deixem isto parar por completo. Não é por eu administrar o fórum mas ficava mesmo com pena se isso acontecesse...

Passando à frente, neste último dia por terras lusas mandei abaixo.. uma belga. O que querem? Tenho um fraquinho pelas cervejas deste país... :P
E para me despedir em grande bebi uma das minhas Top10. Top10 talvez não mas Top20 é de certeza: a Gulden Draak. Elaborada pela Brouwerij Van Steenberge, esta excelente cerveja vem numa daquelas garrafas brancas a imitar cerâmica. No encontro que tivemos do CdM, tinha comentado com o mitos que gostava bastante do aspecto destas garrafas, ao que parece precisamente ao contrário dele... :)

Recapitulando, a Gulden Draak vem numa garrafa de 33cl, branca, com rótulo de fundo preto com um dragão dourado estampado. Acho que já tinha esta garrafa desde o Verão do ano passado, bem guardadinha para não ter uma decepção quando a abrisse! Lá fui buscar o meu copo Orval e toca a servi-la! Esta Triple apresenta cor escura, castanha, opaca, encimada por uma espuma fabulosa, extremamente cremosa e de cor creme. Aroma doce, maltado, com algum caramelo e especiarias (género cravo-da-Índia). A presença do álcool é notória, quase fazendo lembrar um bom whisky de malte. Também não é para menos: os 10,5% ABV desta cerveja trazem prazer e felicidade mas exigem contenção e discernimento. As especiarias, os frutos secos (maioritariamente passas) e o caramelo do sabor envolvem-nos num turbilhão de sensações e emoções. A (pequena)presença de lúpulo no fim dá o toque final necessário a uma cerveja muito equilibrada, a que apenas um pouco de gás a mais retira a penitude da excelência.

Conclusão: não há muito a concluir. Fica apenas um forte conselho no sentido de, no caso de se cruzarem com ela, não desaproveitarem a oportunidade e saborearem o que o saber e a técnica juntos podem originar!

Aparência: 8/10
Aroma: 8/10
Sabor: 8/10
Palato: 8/10

Total: 8/10

Imagem


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » segunda nov 13, 2006 22:44

Tendo regressado recentemente de Itália, não posso deixar de abordar uma cerveja deste país. E para o efeito, escolhi uma das lagers de maior circulação: a Nastro Azzurro, da Peroni (SABMiller).

Muito publicitada no seu país de origem, a Nastro também obteve alguma projecção internacional devido aos muitos sucessos motociclisticos do Valentino Rossi, que durante bastante tempo apareceu nas conferências de imprensa com um boné desta companhia. No entanto, fora de Itália, apenas os mais interessados a conhecem, um pouco à imagem do que acontece com as nossas Sagres e Super Bock que não são muito famosas no exterior.

Bom, voltando à Nastro Azurro, é de referir que o conjunto garrafa/rótulo não é nada de excepcional, sendo que as cores predominantes são o dourado e o azul. Com 5,1% de álcool, esta Premium Lager (assim o dizem eles) veio numa garrafa de 33cl e servi-a num copo tipo lager.
De cor amarelo-palha, produziu pouco gás e quase nenhuma espuma. Muito mau início para uma cerveja deste género.... A continuação não foi melhor: o aroma é predominantemente lúpulo e pouco mais. Quanto ao sabor, é bastante amargo e monótono, tendencialmente mais agressivo que a maior parte da suas compatriotas. O final é, mais uma vez, amargo e seco.

Conclusão: boa para matar a sede mas igual a centenas de outras pils que circulam por aí....

Aparência: 4/10
Aroma: 3/10
Sabor: 4/10
Palato: 5/10

Total: 4/10

Imagem


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » quarta nov 22, 2006 23:22

Este é um dos maiores "barretes" que apanhei mas bom, como diz o povo, quem anda à chuva molha-se. Ou seja, quem compra muitas marcas de cerveja diferentes arrisca-se a apanhar algumas menos boas. Esta, no entanto, deixou-me especialmente aborrecido pois veio de Itália. Logo, retirou espaço na bagagem a uma outra que até poderia ser bastante boa, o que, conhecendo vagamente a cerveja italiana, seria difícil...

Eis pois a Prinz Brau Lager duma empresa que é a Prinz Brau e que, pelo que consegui descobrir, só produz esta marca!!! É uma típica cerveja de supermercado, similar a qualquer cerveja de produto branco. Mazinha e difícil de acabar, muito ao nível da Bud ou Miller, que devem ser as piores cervejas que já bebi. De cor amarelada, quase não apresentou espuma ou gás. Eventualmente, a viagem não lhe fez bem mas as outras que já experimentei não me pareceram sofrer quaiquer alterações! O aroma denota uma ligeira presença de lúpulo e nada mais. O sabor é doce, a milho e algo metálico, extremamente aguado. Apenas razoável para matar a sede dado o baixo nível de álcool (3,5%) e o preço (cerca de 50 cêntimos)

Conclusão: uma cerveja cheia de nada!!!

Aparência: 2/10
Aroma: 3/10
Sabor: 2/10
Palato: 3/10

Total: 2,5/10

Imagem


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » quarta dez 27, 2006 0:10

Não sei se já tinha dito isto algures mas a De Dolle Brouwers é uma das minhas empresas cervejeiras preferidas. Esta pequena cervejaria belga faz inúmeras cervejas de alto gabarito, como são exemplos a Boskeun, a Lichtervelds Blond, a Oerbier, a Dulle Teve 10º (Mad Bitch) ou a Stille Nacht (uma cerveja de Natal). Deste modo, sempre que experimento uma cerveja desta marca sei que muito dificilmente irei ficar desiludido.

Era por isso que partia com grandes expectativas para a prova da Arabier. E por pouco não me sucedia a primeira desilusão com esta companhia....

O rótulo é engraçado, algo infantil como o da Boskeun mas, ainda assim, atractivo. Garrafa de 33cl. Servi-a num copo da Chimay.

Pelo que já mencionei, tinha grandes expectativas para esta Arabier, até por ter experimentado recentemente a Boskeun e ter adorado. Ambas estão dentro do estilo Belgian Strong Ale, muito próximas de uma Tripel e têm a mesma percentagem de álcool: 7%

É uma cerveja de cor âmbar/alaranjada, algo turva, tendo apresentado algum sedimento apesar do cuidado com que a servi. Produz uma espuma imensa, cremosa e com excelente retenção. O primeiro pequeno senão surgiu no aroma: um ligeiro toque a vinagre que não me pareceu nada natural. De resto, forte presença de especiarias e frutas cítricas.
O sabor é bastante complexo mas não tão intenso como o da Boskeun. Para além do mais, parece-me excessivamente carbonatada, o que não ajuda à degustação dos diversos ingredientes presentes. Mais para o amargo do que para o doce, o sabor é novamente dominado por especiarias e algumas frutas, destacando-se outra vez os citrinos e um ligeiro toque de maça. O final é bem seco e algo alcoólico.

Conclusão: não deixa de ser uma cerveja muito boa mas, tendo bebido a Boskeun tão recentemente, não posso deixar de as comparar e considerar esta Arabier claramente inferior. Todavia, na gama em que se insere, está certamente na metade superior!

Aparência: 8/10
Aroma: 6/10
Sabor: 6/10
Palato: 8/10

Total: 7/10

Imagem


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » quarta jan 03, 2007 0:14

Se por acaso se cruzarem com umas cervejas chamadas Salitos à venda nos hipermercados Continente e, presumo eu, em outros pontos de venda, fujam, tal como se diz que o diabo foge da cruz!!! :evil:

Má, péssima, horrível... acho que já perceberam aonde quero chegar.... Um grande tiro no pé da Krombacher. Nem me vou dar ao trabalho de classificá-la!!!! :!:


mitos
BeerMaster
Mensagens: 340
Registado: quarta ago 23, 2006 10:59
Contacto:

Mensagempor mitos » quarta jan 03, 2007 9:47

muito obrigado plo aviso, é de amigo ;-)


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Bush Noel

Mensagempor bmxutos » quinta jan 25, 2007 22:42

Conforme prometido, aqui fica a minha modesta opinião sobre uma das mais conhecidas cervejas de Natal, a Bush Noel, que em muitos países também é vendida como Scaldis Noel.

Garrafa de 25cl., suficiente para a prova mas insuficiente para o apreciador! :) Rótulo bem festivo, em azul e vermelho, com um toque de brilhantinas para animar mais o conjunto. Servi-a num copo Duvel, suficiente para a deixar "crescer".

Esta não é uma cerveja para se tomar de ânimo leve, apesar de isso ser perceptível desde o início, já que os 13% estão bem patentes quer no aroma quer no sabor. E se isso não chegasse, bastaria saber que é um produto da Dubuisson, algo que nos deveria colocar logo em sentido!

Ao servir mostrou ter cor âmbar e uma bonita espuma, beige e cremosa. Na garrafa existiam algumas partículas em suspensão.

No nariz apresentou características a caramelo, algumas especiarias e malte torrado, o que lhe dá uma tendência algo doce mas nada enjoativa. O álcool vem em seguida, facto destacado pelo aumento da temperatura da cerveja. Aroma complexo mas com os diversos elementos bem perceptíveis. Apesar de tudo, fica um pouco aquém da qualidade do sabor.

Este último é dominado pelo malte, notas de café e algumas frutas, nomeadamente passas. Excelente corpo e forte presença de álcool, apesar deste nunca se sobrepor aos outros companheiros. Digamos que é uma dança equilibrada. Por falar em equilibrio, quem tenha a oportunidade de beber esta creveja tem de se preocupar com ele, dado que, apesar de pequena, teima em nos apanhar desprevenidos, sendo que só lhe damos o devido valor quando nos levantamos..... :) O lúpulo dá umas excelentes notas a especiarias ao final desta cerveja.

Conclusão: garrafa bonita, bom conteúdo, pena o preço! Sinceramente já não me lembro quanto paguei por esta cerveja, pois já a tinha guardada há cerca de 1 ano. Mas lembro-me que na altura achei um exagero. Mas sendo eu um fã incondicional da Bush normal, tinha de experimentar esta Noel. E não fiquei desapontado. Digamos que a colocaria ao nível da também natalícia Stille Nacht, da De Dolle Brouwers. Para além do mais, é uma cerveja que vai lindamente com um cabrito assado no forno!!!

Aparência: 8/10
Aroma: 6/10
Sabor: 8/10
Palato:8/10

Total: 7,5/10

Imagem


beertruck
BeerMaster
Mensagens: 529
Registado: quarta jul 12, 2006 10:19

Mensagempor beertruck » sexta jan 26, 2007 17:16

Uhmmm... Já ía uma... Compraste-a cá? Acho que nunca a vi no ECI...

Por falar em cabrito assado no forno, esse bicharoco tb vai muito bem com uma Chimay Azul. Comecei o ano em grande bebendo, no dia 1 de Janeiro, uma Chimay Grand Reserve 2006 (75cl) a acompanhar o dito cujo. Pena a garafa não ter mais uns 25cl...


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » sexta jan 26, 2007 18:31

beertruck Escreveu:Uhmmm... Já ía uma... Compraste-a cá? Acho que nunca a vi no ECI...

Por falar em cabrito assado no forno, esse bicharoco tb vai muito bem com uma Chimay Azul. Comecei o ano em grande bebendo, no dia 1 de Janeiro, uma Chimay Grand Reserve 2006 (75cl) a acompanhar o dito cujo. Pena a garafa não ter mais uns 25cl...


Acho que com cabrito asado tudo vai bem!!! :P

Não, não a comprei cá! É uma foreigner. Mas algo me diz que o Pai Natal é capaz de trazer uma para ti.... :wink:

Abraço,

Bruno
CervejasDoMundo.com


beertruck
BeerMaster
Mensagens: 529
Registado: quarta jul 12, 2006 10:19

Mensagempor beertruck » sexta jan 26, 2007 19:01

bmxutos Escreveu:
beertruck Escreveu:Uhmmm... Já ía uma... Compraste-a cá? Acho que nunca a vi no ECI...

Por falar em cabrito assado no forno, esse bicharoco tb vai muito bem com uma Chimay Azul. Comecei o ano em grande bebendo, no dia 1 de Janeiro, uma Chimay Grand Reserve 2006 (75cl) a acompanhar o dito cujo. Pena a garafa não ter mais uns 25cl...


Acho que com cabrito asado tudo vai bem!!! :P

Não, não a comprei cá! É uma foreigner. Mas algo me diz que o Pai Natal é capaz de trazer uma para ti.... :wink:

Abraço,

Bruno
CervejasDoMundo.com


Sempre acreditei no Pai Natal :lol:


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Super Bock Twin Pêssego

Mensagempor bmxutos » quarta fev 21, 2007 17:40

Bom, finalmente tive oportunidade de experimentar a Super Bock Twin Pêssego, uma cerveja sem álcool com sabor, uma raridade em qualquer parte do mundo! Também já tenho para experimentar a Twin Preta sem álcool, concorrente directa da "irmã" Cheers Preta sem álcool e da Jansen Preta sem álcool. Mas essa fica para uma outra altura.

Voltando à Twin Pêssego, confesso que não andava à procura dela, mas ao olhar para as prateleiras do supermercado e verificando que já tinha experimentado tudo, foi uma agradável surpresa deparar-me com este novo produto da Unicer.

O aspecto é o típico da família Super Bock, em tons de laranja, nada de muito apelativo mas também não completamente desagradável.

Foi com uma certa relutância que parti para esta prova, não só por ser uma cerveja sem álcool mas, acima de tudo, por adicionar um sabor. Não que isso seja um problema à partida já que, como referi por diversas vezes no CdM, gosto bastante de Lambics e outras cervejas com fruta. No entanto, já tive experiências muito desagradáveis neste último estilo e logicamente, se lhe retirarmos o álcool, é bem possível que o produto final fique ainda pior!

A garrafa é de 33cl e servi num copo tipo pint, embora um pouco mais pequeno. Half pint, diria. Mal se abre a garrafa somos atingidos por um forte aroma a alperce (mais do que pêssego, curiosamente) que deixou algumas reminiscências ácidas.

Apresentou cor amarela com uma espuma média, com pouca retenção e muito volátil. A pouca presença de CO2 e a respectiva cor fazem com que, a determinada altura, pareça que estamos a beber um Ice Tea. Aliás, admito que a aparência desta bebida foi talvez o aspecto mais negativo que descortinei. De facto, a partir daqui fiquei agradavelmente surpreendido! Não que tenha achado uma boa cerveja. Pode-se mesmo pôr a questão de estarmos em presença de uma cerveja. Mas admito que estava à espera de algo muito pior!

Em frente! O aroma é bastante suave, a pêssego/alperce, ligeiramente ácido e, acima de tudo (e louve-se isso) pouco doce. Apercebemo-nos logo que estamos em presença de uma soft drink, dada a quase completa impossibilidade de detectarmos qualquer fundo de malte ou lúpulo no aroma e na bebida.

Tal como o aroma, o sabor é muito suave, apesar da sensação de artificial no final de cada gole. É de destacar o carácter refrescante desta bebida, muito devido ao facto de ser, em geral, pouco doce. Nos ingredientes constata-se a existência de milho e de 10% de sumos de frutas (pêssego, pêra e maçã). Aliás, a maçã também é bem perceptível no sabor, tal como o pêssego. O corpo é muito leve, como seria de esperar e a presença de gás parece-me adequada.

Enfim, trata-se de um produto vocacionado para um nicho de mercado, que procura atrair pessoas que habitualmente não bebem cerveja, eventualmente senhoras e pessoas que não costumam consumir álcool. Para além do mais, com as pesadas multas e um maior controlo nas estradas, estes produtos low-alcohol acabam por ser uma excelente aposta das cervejeiras. Infelizmente, ainda estão muito longe das cervejas ditas normais mas, aos poucos e poucos, vão-se criando produtos cada vez mais interessantes.

Só para concluir, devo dizer que as pessoas que estavam comigo e que experimentaram esta bebida, acabaram por gostar dela, nomeadamente a minha namorada. É claro que nenhuma delas é uma profunda conhecedora de cerveja mas, para o que a Unicer se propõe, parece-me ser mesmo este tipo de pessoas que a empresa quer atingir.

Aparência: 2/10
Aroma: 3/10
Sabor: 5/10 (dei mais uns pontitos por sugestão da minha namorada :wink: )
Palato: 3/10

Total: 3,25/10

P.S: mais logo tiro uma foto à garrafa e ponho-a aqui.


Beer-fan
Beer Hunter
Mensagens: 71
Registado: quarta mai 17, 2006 18:59

Mensagempor Beer-fan » quarta fev 21, 2007 18:24

Quase que me deixaste curioso em relação a cerveja de pessego. Agora só falta ganhar coragem!!! :mrgreen:


Avatar do Utilizador
Escaravelho
Beer Hunter
Mensagens: 53
Registado: quarta ago 09, 2006 23:31

Mensagempor Escaravelho » quarta fev 21, 2007 18:35

Boa review. Também me deixaste curioso de provar a cerveja, mas acho que mesmo assim vou passar. Estou já demasiado causticado por más experiências com cervejas idênticas que nem sequer consegui acabar (Tangos, Greens e afins). Por mais que queira ser desprovido de preconceitos e aberto de espírito neste caso não consigo. :lol:


Imagem
Avatar do Utilizador
Rasec
THE BrewMaster
Mensagens: 457
Registado: quinta set 21, 2006 22:50

Mensagempor Rasec » quarta fev 21, 2007 19:15

Essa cerveja tem um aspecto que é inovador em Portugal, e no mundo não devem existir muitas, que é o facto de ter 0,0% de álcool.

Todas as outras cervejas sem álcool em Portugal apresentam +/- 0,45% de álcool na sua composição.


Brewmaster
Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » quarta fev 21, 2007 19:26

Rasec Escreveu:Essa cerveja tem um aspecto que é inovador em Portugal, e no mundo não devem existir muitas, que é o facto de ter 0,0% de álcool.

Todas as outras cervejas sem álcool em Portugal apresentam +/- 0,45% de álcool na sua composição.


Inovadora é de certeza! Isso ninguém lhe pode apontar! :)

Aqui está a foto da anti-alcoólica:

Imagem


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » quarta fev 21, 2007 19:35

Escaravelho Escreveu:Boa review. Também me deixaste curioso de provar a cerveja, mas acho que mesmo assim vou passar. Estou já demasiado causticado por más experiências com cervejas idênticas que nem sequer consegui acabar (Tangos, Greens e afins). Por mais que queira ser desprovido de preconceitos e aberto de espírito neste caso não consigo. :lol:


Caro Escaravelho (e Beer-fan, já agora),

acho que nunca se deve deixar de experimentar qualquer cerveja. É óbvio que muitas vão ser grandes desilusões e é bem possível que esta Twin também o seja. Mas imaginem que até gostam do produto? Aliás, se não gostarem dele, que mal é que vos pode suceder? No máximo, têm de deitar o resto da bebida pela sanita abaixo (lá se vão 45 cêntimos) e abrir uma Chimay ou uma Affligem para limpar o palato! :D Ou seja, nem tudo são más notícias! É apenas a minha opinião e aquilo que costumo fazer!

Abraço,

Bruno
CervejasDoMundo.com


mitos
BeerMaster
Mensagens: 340
Registado: quarta ago 23, 2006 10:59
Contacto:

Mensagempor mitos » sexta fev 23, 2007 11:47

pois, la vou mandar mais uma das minhas bujardas

é assim, pra mim este liquido ja está completa/ fora do mundo da cerveja e como tal nao posso, nao devo, nem quero comenta-lo aqui :D neste local sagrado dedicado a essa bebida sagrada

sugiro q se crie um outro site com um outro forum eh eh eh


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » segunda mar 05, 2007 15:16

A companheira de ontem à noite (no campo cervejeiro, entenda-se...) foi a Hercule Stout da Brasserie Ellezelloise. Belga, portanto.

Deve-se dizer que a Bélgica não é propriamente conhecida pelas suas Stouts. no entanto, parece-me que neste país há sempre cervejas de qualidade independentemente do estilo em que sejam produzidas. Outro facto de destaque: 8,4% vol alcoólico! com esta informação e o evoluir da prova constata-se que estamos mais em presença de uma Imperial Stout do que de uma Stout qualquer de vão de escada!

A Ellezelloise é uma pequena microcervejaria da cidade de Ellezelles, surgida em 1993 e que produz "apenas" cerca de 1000 hectolitros por ano. No seu portfolio e para além desta stout, conheço também as Quintine (amber, blonde e noel) e a Saisis. Todavia, esta stout é a primeira que experimento desta companhia.

Garrafa de 33cl, rótulo simplista mas elegante, em papel tipo pardo, abertura em swing top (está na moda e eu até gosto!). Tem um desenho de uma cara, presumivelmente do detective belga Hercule Poirot, a quem está cerveja vai buscar o nome

Tenho-a há um ano "reservada" mas tive de a abrir pois a data limite de consumo era Dezembro de 2006, pelo que tive algum receio que a bebida se deteriorasse.

Apresentou cor muito escura e uma esplêndida espuma beige que, na minha opinião, poderia e deveria ter durado um pouco mais. Quase que apanhei um susto ao abrir esta garrafa, pois tinha muito co2 e a rolha swing fez com que quase parecesse uma garrafa de champanhe. A espuma apresentou-se também bastante efervescente.

No nariz destaca-se logo o malte torrado, bastante poderoso, bem acompanhado por caramelo e especiarias, sendo que estas últimas têm um carácter bem distinto. Com o decorrer da prova e o seu "reviver" no copo, surgem também notas a chocolate negro, café e ligeiramente a álcool. Magnífico!

Esta é uma bebida bem sólida, forte, intensa e de corpo complexo. Muito bem conseguida! O sabor é delicioso e muito redondo, com a presença de café, chocolate e gengibre, para além do omnipresente malte. O líquido é muito cremoso e o final é ligeiramente doce, apenas o suficiente para equilibrar com a excelente dosagem de lúpulo.

Como disse no início, parece-me que basta aos belgas quererem para produzirem um cerveja de qualquer tipo em grande estilo. Esta Stout é um bom exemplo disso. Um verdadeiro clássico!

Aparência: 6/10
Aroma: 7/10
Sabor: 8/10
Palato: 8/10

Total: 7,25/10

Aqui ficam umas fotos da Ellezelloise:

Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » sábado mar 10, 2007 21:49

O tempo começa a melhorar, os passarinhos a chilrear, as borboletas a bailar e... as Lager a atacar. Hoje dediquei-me então a uma lager grega: a Alfa Beer, da firma Athenian Brewery, companhia que também produz a Athenian e Marathon.

Sinceramente, tenho sempre alguma dificuldade em "classificar" estas cervejas género macro-lager. Prefiro uma cerveja extremamente complexa, com os aromas a saltar e o sabor bem vincado, mesmo que eu não os aprecie, do que estas cervejas que, com diferentes rótulos e nomes, quase parecem ser todas saídas do mesmo barril, passe a expressão.

Sabendo que esta Athenian Brewery pertence ao universo Heineken, olhando para a garrafa e para o líquido no copo, rapidamente se chega à conclusão de que vamos experimentar uma heineken com roupagem diferente. E a prova quase que confirma isso.

Garrafa verde de 33cl, rótulo bem feinho, pobre, também em tons de verde. 5% vol. Servi-a num copo da Tuborg que aprecio bastante pois tem uma boca larga, o que facilita o desenvolvimento e captação dos aromas.

Cor amarelo-pálido e uma bonita espuma branca, que resistiu mais do que estava à espera. Bem carbonatada, apresentou-se viva ao longo de toda a prova. A abertura da garrafa revelou um aroma bastante intenso mas que depressa se desvaneceu.

Notas herbais e a lúpulo no nariz. Aroma equilibrado e não demasiado doce.

O sabor, esse sim, pareceu-me excessivamente doce, aguado e apenas com um ligeiro assomo de malte. Carácter algo metálico e pouco amargo para uma cerveja deste estilo. Sempre viva, o final revelou-se floral e algo seco, com um toque de milho.

Não há muito mais a dizer sobre esta Alfa. Gostava de poder acrescentar algo mais mas nada me ocorre. Talvez seja uma boa cerveja para o quente Verão grego, digo eu. De resto... é pobrezita.

Aparência: 5/10
Aroma: 5/10
Sabor: 4/10
Palato: 3/10

Total: 4,25/10

Imagem


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » segunda mar 19, 2007 0:05

Este fim-de-semana foi muito proveitoso para mim e para o CdM. Após o bonito encontro entre o tom_po e o Ricardo Costa, houve mais um acontecimento que me faz acreditar que a existência do site e do fórum do CdM fazem todo o sentido.

De facto, ontem à noite tive a oportunidade de experimentar uma cerveja única, muito especial e de produção extremamente limitada. Eis pois que dei comigo perante uma Stout da PtlSousa Brewery, uma pequena microcervejaria portuguesa, localizada algures entre o Porto e a Guarda.

A inexistência de rótulo impede-me de fazer as habituais considerações sobre a qualidade do mesmo mas, convenhamos, desta vez isso não importava para nada!!!

Ao retirar a cápsula, sobreveio um aroma algo azedo, diria mesmo avinagrado, que não augurava nada de bom. Felizmente, tal desapareceu num ápice e, ao servir para o copo, já os aromas do malte torrado se faziam sentir.

Apresentou uma coloração castanho-escuro, quase preta, com uma bonita espuma beige, não muito cremosa mas com suficiente retenção, ligeiramente efervescente.

No nariz mostrou carácter maltado, sem aquela tendência excessivamente doce de algumas stouts comerciais, que usam e abusam do caramelo. Ligeiras notas a licor de café. O carácter azedo inicialmente detectado tinha desaparecido por completo. Equilibrado.

O sabor é aquele que se espera de uma stout! Neste caso, diria que estamos em presença de uma excelente stout para iniciados neste estilo: nem muito forte e áspera, nem muito aguada e incaracterística. Bem balanceada, tem um início algo amargo, que depois é corrigido com o desenvolvimento do sabor do malte na boca, com presença de café e notas de chocolate. Talvez se esperasse um pouco mais de notoriedade do álcool na boca, mas nada que diminua o prazer da sua degustação. O fim é ligeiramente seco e amargo, sendo que com isto não estou a fazer uma crítica mas apenas uma constatação. E tal deriva do facto de grande parte das stouts comerciais que por aí circulam terem um carácter adocicado algo excessivo, a maior parte das vezes culpa, novamente, do nosso amigo caramelo.

Na avaliação desta cerveja vou abrir uma excepção, já que não lhe vou atribuir pontos. E não pensem que é para poupar o produtor a uma pontuação baixa. Neste caso, estaria era a não tentar envergonhar muitas grandes cervejeiras que elaboram produtos de fraca qualidade e que, no caso das stouts, muitas vezes nem o são, mais se aproximando de dunkels ou porters. Esta Stout teria, com certeza, uma pontuação muito positiva. No entanto, dadas as enormes diferenças nas condições de produção, espaço, maquinaria envolvida, etc, sinto que estaria a comparar coisas diferentes. Aliás, não se pode avaliar uma cerveja elaborada sem qualquer interesse comercial, produzida apenas pelo carinho e paixão que uma pessoa tem por uma determinada arte.

Conclusão: espero que, um dia, grande parte dos membros do fórum do CdM possam experimentar uma cerveja produzida pelo ptlsousa, para que possam perceber como com tão poucos recursos mas ao mesmo tempo paixão, conhecimento e dedicação se pode elaborar cervejas caseiras de tanta qualidade.
Espero poder partilhar com alguns de vocês a Weizen que o Pedro também me enviou, a qual estou a guardar para o próximo encontro do CdM que, até ver, está combinado para a Loja da Cerveja Caseira.

Só me resta agradecer ao nosso ptlsousa e pedir-lhe uma coisa: por favor, continua!

Um abraço,

Bruno
CervejasDoMundo.com
Última edição por bmxutos em segunda mar 19, 2007 0:13, editado 1 vez no total.


Avatar do Utilizador
bmxutos
Site Admin
Mensagens: 3047
Registado: terça mai 16, 2006 2:07
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagempor bmxutos » segunda mar 19, 2007 0:11

Aqui fica uma imagem da Stout da PtlSousa Brewery

Imagem


Avatar do Utilizador
canecao
BeerMaster
Mensagens: 436
Registado: segunda ago 21, 2006 17:27

Mensagempor canecao » segunda mar 19, 2007 11:24

O ptlsousa tem é de aumentar a produção para o resto do pessoal também apreciar esse néctar!!! (!!!C)

pena estar longe e não poder ir ao vosso encontro para experimentar a outra cerveja. Pode ser que no verão, realizem um cá em baixo.


beertruck
BeerMaster
Mensagens: 529
Registado: quarta jul 12, 2006 10:19

Mensagempor beertruck » segunda mar 19, 2007 16:21

bmxutos Escreveu:Espero poder partilhar com alguns de vocês a Weizen que o Pedro também me enviou, a qual estou a guardar para o próximo encontro do CdM que, até ver, está combinado para a Loja da Cerveja Caseira.

Estou ansioso pelo proximo encontro, para experimentar essa weizen.

Obrigado Pedro. Obrigado Bruno.

Ah! E não sobrou um bocadinho de stout?... Ó lambão!...


beertruck
BeerMaster
Mensagens: 529
Registado: quarta jul 12, 2006 10:19

Mensagempor beertruck » segunda mar 19, 2007 16:23

canecao Escreveu:pena estar longe e não poder ir ao vosso encontro para experimentar a outra cerveja. Pode ser que no verão, realizem um cá em baixo.

Cá em baixo? Onde? Não és da região de Lisboa?



Voltar para “APRECIAÇÃO DE CERVEJAS”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 4 visitantes