Página 1 de 1

paraabens ao nosso amigo "Vicmap"

Enviado: sexta jan 18, 2008 20:33
por tom_po
gosto muito a página do nosso amigo Almeida, queria fazer lá um comentario, mas nao queria-me registrar (melhor, não tive tempo...)

vejam o ultimo artigo dele, acho otimo:

Cada um de nós tem uma estação do ano preferido, e creio que preferência terá muito a haver com o nosso feitio, ou até com a época da vida que se atravessa. Parece-me que, com o correr da idade nos vamos tornando mais sensíveis àquelas cores quentes das folhas no Outono, e deixamos para trás os nossos entusiasmos estivais, ou as frescuras primaveris.
Foi reflectindo nestas frivolidades da minha vida comezinha que há dias me sentei numa esplanada, aproveitando os tímidos sorrisos que o sol ainda nos vai oferecendo, e sem mais que fazer, pedi um café - coisa que faço pouco fora de casa - e entretinha-me a perder o olhar na multidão, quando me vem ao ouvido descuidadamente a conversa de dois jovens se tinham sentado na mesa ao lado. Um deles pediu uma cerveja, e o outro perguntava-lhe como é que ele conseguia beber cerveja no Inverno. Claro que aquilo tinha tudo que ver com o tipo de cervejas que há à disposição por cá, mas sobretudo com a temperatura a que a cerveja costuma ser servida. Mas veio-me à mente uma conversa que há poucos dias tinha tido com a minha filha, ela que também gosta razoavelmente de cerveja, em que ela me dizia que com este tempo lhe apetecia menos a bebida.
Pois a mim, nem mesmo o tempo de brumas me afrouxa o gosto pela cerveja, e nem sequer opto sempre por cervejas mais “quentes”, por assim dizer, como as cervejas de natal ou de abadia, apesar de delas gostar muito. Não faço questão, e acabo por beber a que mais me apetece na altura, ou se se proporciona de experimentar uma novidade, ainda melhor. Mesmo que seja uma “blanche” que sabe divinamente se servida muito fresca.
Foi o que se passou com esta excelente Timmerman lambic Blanche. Já me andava a “picar” há uns tempos, até porque destas witte, por cá, a Hoeggarden é quase monopolista, e queria estabelecer uma comparação.
E a cerveja não se saiu nada mal na comparação. Servida fresca em copo próprio - por sinal muito parecido com o da Hoeggarden - mal poisou no copo, atirou-me com um suave aroma a citrinos e a fruta madura. Menos efervescente do que seria de esperar, apesar de tudo, o suficiente para refrescar perfeitamente o sequioso bebedor, mesmo que tenha acabado de atravessar o Sahara.
Muito suave, descomplexada e leve, é sem dúvida uma boa companhia para uma tarde despreocupada, e a acompanhar com uns pedaços de queijo da Serra, como foi o caso, ou qualquer outro que não tenha um sabor demasiado marcado.
Por mim, fiquei satisfeito por me ter travado de razões com esta “belga”, que não se mostrou em nada inferior à sua compatriota mais conhecida.

Acho lindo, como ele contou esta situação antes do natal...parabens..

Enviado: sexta jan 18, 2008 21:43
por emsfc
Concordo contigo Thomas. O blog do nosso amigo Vic é de passagem obrigatória para mim. De vez em quando passo por lá para espreitar se já tem algo de novo. Os textos dele são deliciosos de se ler. Penso que se escreve-se um livro, não ficaría nada atrás do Francisco José Viegas. Porque não?

Abraço

Enviado: sábado jan 19, 2008 22:31
por bmxutos
O Ruivas Louras e Morenas é um must para quem gosta de boa escrita e cerveja. Aliás, já os textos que o Vic deixa aqui no fórum são de grande qualidade. Abraço,

Enviado: domingo jan 20, 2008 4:51
por ptlsousa
Caro Vic,

Sinceramente, começa a pensar escrever um livro...

Enviado: domingo jan 20, 2008 12:07
por VicMaP
Caros Amigos, a começar naturalmente pelo Tom_Po:
Nem sei que vos diga. Nunca tive aspirações a escritor, embora por vezes me abalance numas prosas e até versos, mas daí a almejar chegar ao nível do FJV vai um fosso enorme. Eu sou um simples amador.
Bem, e na minha página decidi ter uuma linha um pouco mais pessoal do que é habitual nas páginas de "degustadores" de cerveja, nas quais os apreciadores se limitam a apreciar a cerveja, com notações para aroma, espuma, e por aí. Eu optei por lhe dar um pouco de envolvência, porque me parece que tal também é importante para a devida apreciação de uma cerveja.

A todos, bem-hajam

e um abraço